Volver a los detalles del artículo Perfil del Servicio de Atención Móvil de Urgencia en un municipio del Sur de Bahía

Perfil do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência em um município do Sul da Bahia

Perfil of the Mobile Emergency Care Service in a Municipality in the South of Bahia, Brazil

Perfil del Servicio de Atención Móvil de Urgencia en un municipio del Sur de Bahía

 

Larayne Gallo Farias Oliveira*

enfa.laraynefarias@hotmail.com

Alana Paula Souza Santos**
a.llanapaula@hotmail.com

 

*Enfermeira. Especialista em Emergência

Auditoria de Sistemas de Saúde, Gestão em Saúde e Saúde Coletiva

Mestranda em ensino e relações étnicas raciais na UFSB

**Enfermeira. Especialista em Atendimento Pré-Hospitalar e Emergencial

Unidade de Saúde de Santa Luzia

(Brasil)

 

Recepção: 07/04/2019 - Aceitação: 03/11/2019

1ª Revisão: 28/10/2019 - 2ª Revisão: 31/10/2019

 

Este trabalho está sob uma licença Creative Commons

Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional (CC BY-NC-ND 4.0)

https://creativecommons.org/licenses/by-nc-nd/4.0/deed.pt

 

Resumo

    O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) 192 foi implantado em 2004 na cidade de Itabuna, BA com o objetivo de prestar socorro a população em casos de urgências e Emergências. Atualmente consta com três viaturas e uma motolância e uma equipe composta por cinquenta e cinco profissionais. Este estudo objetivou conhecer o perfil de atendimento prestado pelo SAMU Itabuna-BA no período de Janeiro a Junho de 2014. Tratou-se de uma pesquisa descritiva, exploratória de natureza quantitativa, onde foram utilizados dados secundários do banco de dados da regulação médica do SAMU 192, considerando todos os atendimentos prestados pelo serviço. Neste período foram recebidas 71.598 chamadas para o número 192, destas 58.228 foram trotes e 4.202 foram realizados atendimentos com o uso de veículos, onde a Unidade de Suporte Básico foi utilizada em 78% das ocorrências; os tipos de atendimentos mais frequentes foram os agravos clínicos adultos (33,1%), seguidos pelas causas traumáticas (25,7%), destacando-se problemas cardiovasculares com 30% dos agravos clínicos e os acidentes de trânsito que corresponderam a 48% dos agravos traumáticos, nas quais, em sua maioria (65%) os usuários foram levados para o Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhães (HBLEM) em Itabuna, que a rede de urgência tem como aporte principal. Assim a pesquisa possibilitou avaliar os principais problemas de saúde atendidos, permitindo traçar medidas de colaboração para o planejamento e organização do serviço, além de subsidiar os gestores e autoridades na tomada de decisões que possam contribuir na prestação da assistência.

    Unitermos: Assistência pré-hospitalar. Serviço de atendimento móvel de urgência. Perfil de atendimento.

 

Abstract

    The Mobile Emergency Care Service (SAMU) 192 was deployed in 2004 in the city of Itabuna with the purpose of providing relief to the population in cases of emergency and emergencies. It currently consists of three vehicles and a motolance and a team of fifty-five professionals. This study aimed to know the profile of care provided by the Itabuna-BA SAMU from January to June 2014. It was a descriptive, exploratory research of a quantitative nature, where secondary data were used from the SAMU medical regulation database 192, considering all services rendered by the service. During this period, 71,598 calls were received for the number 192, of these 58,228 were trotting and 4,202 were attended with the use of vehicles, where the Basic Support Unit was used in 78% of the occurrences; (33.1%) followed by traumatic causes (25.7%), with cardiovascular problems accounting for 30% of the medical conditions and traffic accidents, which corresponded to 48% of the traumatic injuries, in which, in the majority (65%), the users were taken to the Hospital de Base Luiz Eduardo Magalhaes (HBLEM) in Itabuna, which the emergency network has as main contribution. Thus, the research made it possible to evaluate the main health problems addressed, allowing the development of collaborative measures for the planning and organization of the service, besides subsidizing the managers and authorities in the decision making that can contribute to the provision of care.

    Keywords: Prehospital care. Mobile emergency care service. Service profile.

 

Resumen

    El Servicio Móvil de Atención de Emergencia (SAMU) 192 se estableció en 2004 en la ciudad de Itabuna, Bahía con el propósito de brindar ayuda a la población en casos urgentes y de emergencia. Actualmente cuenta con tres vehículos y una motocicleta y un equipo de cincuenta y cinco profesionales. Este estudio tuvo como objetivo conocer el perfil de la atención brindada por SAMU Itabuna-BA de enero a junio de 2014. Fue una investigación exploratoria descriptiva de naturaleza cuantitativa, que utilizó datos secundarios de la base de datos de regulación médica de SAMU 192, considerando todas las asistencias prestados por el servicio. En este período, se recibieron 71.598 llamadas a 192, de las cuales 58.228 fueron bromas y se realizaron 4.202 llamadas con el uso de vehículos, donde la Unidad de Soporte Básico se utilizó en el 78% de los casos. Los tipos de atención más frecuentes fueron las enfermedades clínicas en adultos (33,1%), seguidas de causas traumáticas (25,7%), con problemas cardiovasculares con el 30% de las enfermedades clínicas y accidentes de tráfico correspondientes al 48%. de las lesiones traumáticas, en las que la mayoría (65%) de los usuarios fueron trasladados al Hospital Base Luiz Eduardo Magalhães (HBLEM) en Itabuna, que la red de emergencias tiene como principal auxilio. Por lo tanto, la investigación permitió evaluar los principales problemas de salud atendidos, permitiendo delinear medidas de colaboración para la planificación y organización del servicio, así como colaborar con los gerentes y autoridades en la toma de decisiones que puedan contribuir a la prestación de asistencia.

    Palabras clave: Atención prehospitalaria. Servicio móvil de atención de emergencia. Perfil de servicio.

 

Lecturas: Educación Física y Deportes, Vol. 24, Núm. 258, Nov. (2019)


 

Introdução

 

    Devido à alta demanda por serviços de urgências e emergências e o aumento do número de acidentes ao longo dos anos o Ministério da Saúde aprovou a regulamentação técnica dos sistemas dos estados de urgência e emergência por meio da portaria 2.048/GM em 05 de Novembro de 2002. No ano seguinte a portaria 1.864/GM em 29 de Setembro de 2003 deu início a implantação do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) na modalidade de suporte básico e avançado de vida com atuação no território brasileiro. (Brasil, 2002)

 

    O SAMU é composto por uma equipe multiprofissional composto por médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem e socorristas que atendem as urgências e emergências em diferentes locais, como domicílios, empresas e vias públicas de natureza, obstétrica/ginecológica, clinica, traumática, pediátrica, cirúrgica, psiquiátricas e realizam transferências hospitalares no caso de risco de vida. (Sergipe, 2011)

 

    O SAMU 192 Itabuna-BA foi instituído através da Portaria Nº 2.216/GM em 14 de outubro de 2004, porém segundo Bastos (2014) foi inaugurado em setembro de 2004, com o objetivo de prestar socorro a população em casos de urgências e Emergências, onde conta com três viaturas, uma motolância e uma equipe composta por cinquenta e cinco profissionais e prepara-se para a sua Regionalização onde atenderá os municípios adscritos. A rede de urgência do município tem como aporte principal o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães(HBLEM), que é a referência municipal e da região.

 

    A realização desse estudo foi motivada pelos altos índices de violência no município de Itabuna, o que a levou ao ranking de 22º cidade mais violenta do país conforme dados divulgados pelo Ministério da Justiça e Instituto Sangari (Mapa da Violência, 2013). Este evento trouxe a necessidade de se estudar detalhadamente às ocorrências atendidas pelo SAMU Itabuna-BA, levando em consideração que o atendimento pré-hospitalar é fundamental para diminuir e/ou evitar agravos e consequências a vítima, tornando-se indispensável conhecer o atendimento prestado para comunidade de Itabuna-BA, assim possibilitando traçar e organizar meios de melhorar a qualidade do atendimento do setor.Conhecer o perfil de atendimento prestado pelo SAMU possibilita que o enfermeiro que compõe a equipe do serviço de fato possa preparar sua equipe e treiná-la com um foco maior para os tipos de ocorrências que mais acomete o município de Itabuna-BA, facilitando o trabalho e dando maior segurança para a atuação destes profissionais.

 

    Este estudo buscou conhecer o perfil de atendimento de urgência e emergência do SAMU 192 em Itabuna-BA no período de Janeiro a Junho de 2014, objetivando identificar as principais ocorrências atendidas pelo SAMU e traçar medidas de colaboração com o planejamento e organização deste serviço no município.

 

Métodos

 

    Tratou-se de uma pesquisa descritiva, exploratória de natureza quantitativa, onde o objeto real estudado foram os dados dos atendimentos prestados pelo SAMU Itabuna-Ba, referentes ao período de janeiro a junho de 2014. A pesquisa foi aplicada a população do município que necessitou de atendimento pelas equipes de Suporte Básico de Vida (SBV), de Suporte Avançado de Vida (SAV) e de Motolância do SAMU de Itabuna- BA no período do estudo.

 

    A Pesquisa não teve critérios de exclusão, sendo considerados todos os atendimentos de urgência e emergência realizados pelas equipes no período de janeiro a junho de 2014. Foi enviado um ofício para a coordenação do SAMU 192, Itabuna- BA, solicitando autorização para coleta de dados. Após a autorização, a coleta foi aplicada através do sistema do banco de dados da central de regulação médica do SAMU in locus, onde foram coletadas em forma quantitativa as ocorrências atendidas pelo serviço, incluindo o tipo de veículo utilizado nos atendimentos e o número de ligações recebidas. Após a coleta os dados foram classificados, analisados e organizados através de tabelas e gráficos com o uso do programa Excel versão 2013.

 

Resultados e discussões

 

    O resultado da análise realizada através dos dados, do número e os tipos de serviços prestados pelo SAMU 192 Itabuna conforme Tabela 1, referente ao período de Janeiro a Junho de 2014 fornecidos pela central médica do serviço, trazem uma grande divergência entre o número de chamadas recebidas pelo número 192 e o número real de atendimentos prestados pelo SAMU 192 Itabuna-BA, os resultados ganham ênfase em relação ao número de trotes recebidos pelo serviço neste período, sendo eles responsáveis por 81% das ligações recebidas.

 

    Segundo Bastos (2014) no ano de 2009 o SAMU 192 Itabuna-BA recebeu um total de 31.282 chamadas no telefone 192, das quais 17.956 foram trotes e 3.275 geraram orientações. De janeiro a 31 de outubro de 2014 segundo a Secretaria de Saúde do Distrito Federal (2014) o SAMU 192 – DF recebeu 830.597 ligações pelo número de emergência 192, dessas, 135.140, ou 16% das chamadas, foram considerados trotes ou ligações falsas. De acordo com Luchtemberg et al. (2014), no período de 2007 a 2010 o SAMU Santa Catarina-SC recebeu 1.353.150 chamadas das quais 393.912 foram trotes.

 

    Estes números retrataram que é alarmante a quantidade de trotes recebidos pelo serviço, o que causa prejuízos materiais e humanos,muitas vítimas podem deixar de ser atendidas, porque os profissionais estão com as linhas ocupadas e a situação ainda piora quando é feito o deslocamento desnecessário de ambulâncias e profissionais, o que atrasa o atendimento que poderia ser uma chamada onde realmente uma vítima necessite de socorro, geram transtorno para a equipe e dificuldade para população alcançar o atendimento (Secretaria de Estado de Saúde do Distrito Federal, 2014), resultados expressos com maiores detalhes ilustrados na tabela 1.

 

Tabela 1. Número de chamadas recebidas pelo192 do SAMU 192 Itabuna- BA no período de Janeiro a Junho de 2014

Descrição

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Total

Chamadas

12580

12700

12036

12339

11588

10355

71598

Trotes

10387

10349

9913

10094

9197

8288

58228

Orientações

443

474

408

504

543

449

2821

Remoções inter-hospitalares

 29

 33

29

13

18

16

138

Atendimentos com veículos

681

648

692

698

700

783

4202

Fonte: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Itabuna-BA

 

    O SAMU 192 Itabuna-Ba realizou, no período do estudo, um total de 4.202 atendimentos com veículos durante o período estudado, sendo esses divididos entre os veículos que são habilitados ao serviço a Unidade de Suporte Básico (USB), Unidade de Suporte Avançado (USA) e a Motolância.

 

    Os dados demonstram que a população de Itabuna necessitou de atendimentos por menores complexidade, levando em consideração que o veículo mais utilizado tenha sido a USB, conforme apresentado na tabela 2, que conta com equipamentos para suporte básico de vida, corroborando com o estudo realizado por Gonzaga et al. (2013) no SAMU 192 Catanduva-SP, no período de Janeiro de 2006 a agosto de 2012, onde a USB foi responsável pelo maior número de atendimento realizados pelo serviço durante todos os anos, chegando a um percentual acima de 87% a cada ano, e com os estudo realizados por Rocha et al. (2014) no período de 1 de agosto de 2012 a 31 de março de 2013 no SAMU 192, da Região Macro Centro Sul no Estado de Minas Gerais onde a USB foi responsável por 78,6% dos atendimentos.

 

Tabela 2. Total Mensal de Atendimentos por Veículos habilitados do SAMU 192 Itabuna-Ba, de Janeiro a Junho de 2014

Veículo

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Total

USA

85

86

100

84

92

100

544

USB

536

502

528

546

548

617

3277

Moto

60

60

64

68

60

69

381

Fonte: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Itabuna-BA

 

    A organização da Rede de Urgência e Emergência (RUE) tem a finalidade de articular e integrar todos os equipamentos de saúde com o objetivo de ampliar e qualificar o acesso humanizado e integral aos usuários em situação de urgência/emergência nos serviços de saúde, de forma ágil e oportuna, são componentes da RUE: Unidade Básica de Saúde, Unidade de Pronto Atendimento, SAMU 192; Atenção domiciliar, portas hospitalares de atenção às urgências e outros serviços que funcionem 24 horas (Portal da Saúde, 2015). A RUE foi desenvolvida, tendo em vista a relevância do contexto de superlotação dos prontos-socorros, afinal o enfrentamento das situações de urgência e emergência e de suas causas requer não apenas a assistência imediata, mas incluí ações de promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos, o tratamento contínuo das doenças crônicas, a reabilitação e os cuidados, assim trazendo para as equipes de saúde maior satisfação laboral e oferecendo um atendimento integral de atenção sócio-sanitária para os que precisem do uso destes serviços. (Brasil, 2013; Carillo-Garcia et al., 2015, Gallego et al., 2014)

 

    No período estudado, dentre os casos que o SAMU 192 Itabuna foi acionado, 122 destes, antes que o serviço chegasse ao local a vítima foi a óbito, um dos principais indicadores para essa circunstância é o fato da alta demanda de chamadas e atendimentos realizadas pelo serviço, devido a dificuldade da funcionalidade da RUE no município, segundo dados do Ministério de Planejamento (2014) Itabuna está entre os municípios constatados para construção de uma UPA porte I que possui de 5 a 8 leitos de observação e capacidade de atender até 150 pacientes por dia, porém atualmente a população que segundo o IBGE (2010) é composta por cerca de 204,667 habitantes conta apenas com o SAMU 192 e os pronto-socorros hospitalares, atendendo 24 horas casos de urgência e emergências, o que prolonga o tempo respostado atendimento a vítima, que corresponde ao período entre a chamada e a chegada da equipe ao local.

 

    Outro critério estudado foi o número de saídas de veículos que não geraram nenhum atendimento (413), sendo o maior motivo por recusa do paciente ao atendimento 85,5%, seguidos pelos pacientes que foram removidos por leigos 7%, na seguida somando 5,1% os que o endereço não foram localizados e por fim com 2,4% os pacientes evadidos do local. Nesse período, segundo registros do SAMU 192 Itabuna, nenhuma das vítimas foram removidas por bombeiros ou policiais. Do número total de saídas das ambulâncias obteve-se um resultado de 261 saídas das quais nos registros não constam os motivos (Figura 1).

 

Figura 1. Situações que geraram saídas de veículos do SAMU 192 Itabuna no período de janeiro a junho de 2014

Fonte: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Itabuna-BA

 

    O SAMU 192 Itabuna-BA conta com o suporte de oito hospitais, para destino dos usuários do serviço, de acordo com a causa e a necessidade do paciente atendido. No período estudado 3.225 ocorrências foram destinadas a centro de tratamentos, dentre eles o Hospital de Base Luís Eduardo Magalhães (HBLEM) que é o hospital de referência para traumas no município, que foi o mais solicitado dando suporte a 2.085 ocorrências atendidas pelo SAMU 192. O destino da vítima é de decisão do Médico regulador de acordo com o aporte e disponibilidade das instituições que são referências ao serviço, porém segundo Bastos (2014), o processo de distribuição de casos na rede sofre interferência de uma série de fatores complexos e diretamente relacionados à capacidade de gestão do sistema de saúde municipal. No ano de 2011 em dados demonstrados por Bastos (2014), a distribuição dos usuários dentro da rede de saúde oferecida pelo município já era predominada pela sua maioria (62%) no HBLEM, pois a rede de urgência tem como aporte principal.

 

    De acordo com os dados observados foram realizados 2.739 atendimento, por diferentes naturezas do chamado, podendo afirmar que o perfil do usuário do SAMU 192 Itabuna é diversificado. Com ênfase nos dados obtidos (Tabela 3), destaca-se o maior índice no atendimento clinico adulto 51%, assim como na maioria dos estudos que se assemelham a este. Em Maringá-PR o maior índice de atendimento também são os clínicos adultos sendo 41,99% (Silva et al., 2010), em Catanduva-SP 50,7% dos casos são clínicos (Gonzaga et al., 2013), em Palmas–TO 52,8% são da mesma natureza (Pitteri; Monteiro, 2011). Seguidos pelos pacientes traumáticos, que correspondem a 39% das ocorrências atendidas

 

Tabela 3. Média de atendimento mensal de acordo com a natureza do chamado pelo SAMU 192 Itabuna, de Janeiro a Junho de 2014

Natureza

Jan

Fev

Mar

Abr

Mai

Jun

Total

Clínico Adulto

230

215

248

237

216

244

1390

Pediátricos

12

14

12

12

11

12

73

Traumáticos

176

168

178

167

176

214

1079

Obstétricos

11

9

7

12

9

8

56

Psiquiátricos

24

21

23

25

27

19

139

Queimaduras

0

1

0

0

0

1

2

Fonte: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Itabuna-BA

 

    Em contrapartida, tratando-se estes dados por especialidade o maior número de ocorrências atendidas pelo SAMU 192 Itabuna foi devido a acidentes de trânsito, ocupando 48% dos atendimentos traumáticos, sendo 14% destes de acidentes motociclísticos. Os acidentes de trânsito constituíram a terceira maior causa de mortes em Itabuna registrando 310 casos, em média 62 vítimas fatais por ano de 2006 a 2010, ao longo do período analisado, o número de vítimas de acidentes de trânsito oscilou do mínimo de 48 mortes em 2006 ao máximo de 69 óbitos em 2008. (AMURC, 2011)

 

    Segundo a Associação Brasileira de prevenção de acidentes de trânsito (2013), os acidentes com moto são responsáveis por 13.000 mortos e 50.000 feridos graves por ano, é o maior problema de segurança do trânsito no país. Segundo Rezende et al. (2010) O SAMU Terezina-PI atendeu a 3.829 politraumatizados por acidente motociclístico no ano de 2009. Segundo Miotto (2013) o número de mortes em acidentes de trânsito com motos no Brasil aumentou 263,5% em 10 anos apresentando em 2011, 11.268 mortes no país, contra 3.100 usuários de motos mortos em 2001.

 

    O segundo índice de ocorrências mais atendidas foram as chamados geradas devido a Hipertensão arterial Sistêmica (HAS) responsável por 12 % das ocorrências atendidas. (Tabela 4). Segundo Schmidt et al. (2009), a prevalência de hipertensão auto-referida no Brasil é elevado, estimando haver um total de 25.690.145 adultos que referem ter hipertensão no país.

 

Tabela 4. Distribuição das variáveis obtidas nos dados fornecidos pelos SAMU 192 Itabuna, de janeiro a junho de 2014

Atendimentos

N

AVC

29

IAM

23

HAS

319

PCR (Com sucesso)

6

PCR (Sem sucesso)

42

Acidentes Motociclisticos

383

Acidentes Automobilisticos

137

FAF

94

FAB

34

Fonte: Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) Itabuna-BA

 

Conclusões

 

    Os dados alcançados por esse estudo revelaram que o perfil de atendimento realizado pelo SAMU Itabuna-BA no período de janeiro a junho de 20014 refere-se principalmente a pacientes com problemas cardiovasculares e em envolvidos em acidentes de transito, sendo a USB o principal veículo utilizado nos atendimentos.

 

    Os achados do estudo apontam como um dos principais problemas enfrentados pelo serviço o número alarmante de trotes recebidos, que interferem na prestação do atendimento, o que permite induzir investir em ações de educação em saúde,através de meios de comunicação como rádio e televisão e palestras educativas nas escolas, objetivando a colaboração da população com o serviço, contribuindo para redução do número de trotes realizados para o serviço, o que reduzirá custos e aumento da eficiência das equipes na prestação do atendimento.

 

    Outro problema identificado com os resultados da pesquisa foi a inadequação do serviço de notificação do SAMU 192 Itabuna, levando em consideração que o numero de registro não condiz com a realidade vista no município. Este fato prejudica o serviço levando em consideração que as notificações são indicadores de saúde, pois é essencial para o monitoramento de problemas públicos de saúde, além de servir como alerta para possíveis intervenções de autoridades políticas, visando conhecer o motivo de tal ocorrência e prover uma possível solução para o problema. Esta descoberta possibilita sugerir que se invista mais neste setor do serviço, tentando padronizar o que deve ser registrado e criar rotinas para tratar os dados gerados pelos atendimentos do SAMU.

 

    Devido o fato do SAMU 192 Itabuna não possuir um sistema informatizado fidedigno, este estudo teve como limitação a dificuldade de coletar os dados, levando em consideração que os dados encontram-se incompatíveis em suas diferentes classificações, alguns dados encontram-se sem explicações e destinos e outros não constam nos registros que fins tiveram. Por fim, este estudo gerou um protocolo para colaboração com o serviço usando medidas como: ações que visem prevenir acidentes de trânsito, como melhor sinalização nas ruas e rodovias e maior fiscalização dos veículos e condutores, além de oferecer educação no trânsito através de faixas e panfletos que alertam sobre os riscos dos acidentes, os itens de seguranças necessários e sobre o condutor ter consciência que deve dar preferência aos condutores do SAMU nas vias públicas nos casos de acidentes. Outra forma de colaborar com o serviço seria no que tange a oferecer cursos e palestras para moradores do município em diferentes serviços (prefeitura, secretárias, escolas, universidades, fabricas, empresas, comércio, taxistas, etc.) voltados para os primeiros socorros que são possíveis de se realizar por leigos, para que as vitimas e os demais presentes no local saibam como agir até a chegada do SAMU.

 

    Ainda como medida de colaboração para a questão apresentada, o reforço e organização de maneira mais complexa na Rede de Urgências e Emergências (RUE) do município o que ampliaria e qualificaria o acesso dos usuários em situação de urgências e emergências nos sistemas de saúde, além de diminuir a sobrecarga que requer ao SAMU, por exemplo, investindo na funcionalidade integral das Unidades Básicas de Saúde, onde a população teria acesso ao serviço médico, evitando assim a necessidade de ser conduzido até um hospital pela equipe SAMU, assim também como a abertura de uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) que além de desembaraçar a sobrecarga da equipe SAMU, evitaria a superlotação dos prontos socorros e com consequente ações de promoção da saúde e prevenção de doenças e agravos.

 

Referências

 

AMURC (2011). Municipalismo Democrático e Forte. Estudo mostra violência no trânsito em Itabuna. Disponível em: http://amurc.com/itabuna/175-estudo-mostra-violencia-no-transito-em-itabuna.html. Acesso em: 10.mar.2019.

 

Bastos, F. J. S. (2014). Sistema de atendimento móvel de urgência de Itabuna: a relação entre a tomada de decisão e a produção do cuidado. Tese (Doutorado em Enfermagem) Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Universidade de São Paulo, Ribeirão Preto.

 

Brasil. Ministério da Saúde (2013). Manual Instrutivo da Rede de Atenção ás Urgências e Emergências no Sistema Único de Saúde (SUS). Brasília: Editora do Ministério da Saúde. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/manual_instrutivo_rede_atencao _urgencias.pdf. Acesso em: 06 abr.2019.

 

Brasil. Portaria n. 2.048, de 5 de novembro de 2002. Normatiza o serviço de atendimento pré- hospitalar móvel.

 

Carillo, G. C. et al. (2015). La satisfacción de la vida laboral de los enfermeros de las unidades móviles de emergencias de la Región de Murcia. Revista Enferm. glob. Murcia, ES,v.14, n.40, out. Disponível em: http://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1695-61412015000400011. Acesso em: 30.mai.2019.

 

Gallego, C.V. (2014). Traducción e Interpretación en los servicios públicos en un mundo INTERcoNEcTado. Journal: public service interpreting and translation, ES, v. 1, pp. 135-13. Disponível em: https://dialnet.unirioja.es/servlet/libro?codigo=562203. Acesso em: 30.mai.2019.

 

Gonzaga, R. A. T. et al. (2013). Características dos atendimentos realizados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência no município de Catanduva, Estado de São Paulo, Brasil, 2006 a 2012. Revista de Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasilia, DF, v.22, n.2, p. 319-321, abr/jun 2013. Disponível em: http://scielo.iec.gov.br/scielo.php?script=sci_arttext& pid= S1679-49742013000200013. Acesso em: 06 abr.2019.

 

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística- IBGE (2010). Bahia Itabuna. Disponível em: http://cidades.ibge.gov.br/xtras/perfil.php?codmun=291480. Acesso em: 17 mar.2019.

 

Luchtemberg, M. N. et al. (2014). Análise de chamadas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência de uma capital brasileira. REV RENE: Revista da Rede de Enfermagem do Nordeste, Florianópolis, SC, v.15, n.6, p.927-929, nov/dez 2014. Disponível em: http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/1758. Acesso em: 09 mar.2019.

 

Mapa da Violência (2013). Homicídios e Juventude no Brasil. Disponível em: http://www.mapadaviolencia.org.br/mapa2013_jovens.php. Acesso em: 21.mar.2019.

 

Ministério do Planejamento (2014). UPA - Unidades de Pronto Atendimento: Bahia. Disponível em: http://www.pac.gov.br/comunidade-cidada/upa-unidade-de-pronto-atendimento/ba. Acesso em: 15 fev.2019.

 

Miotto, R. (2013). Numero de mortes com moto sobe 263,5% em 10 anos. G1, SP. Disponível em: http://g1.globo.com/carros/motos/ noticia/ 2013/06/numero-de-mortes-em-acidente-com-moto-sobe-2635-em-10-anos.html. Acesso em: 10 mar.2019.

 

Pitteri, J. S. M.; Monteiro, P. S. (2011). Caracterização do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) em Palmas-Tocantins. Revista Ciências Saúde, v.21, n.3, p.230-234, abr/jan 2011. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/artigos/caracterizacao _servico_atendimento_movel.pdf. Acesso em: 22 mar.2019.

 

Portal da Saúde (2015). Rede de atenção as Urgências e Emergências: Saúde toda hora. Disponível em: http://dab.saude.gov.br/portaldab/smp_ras.php?conteudo=rede_emergencias. Acesso em: 16 mar.2019.

 

Rezende Neta, D. S. et al. (2010). Perfil das ocorrências de politrauma em condutores motociclísticos atendidos pelo SAMU de Teresina-PI. Revista Brasileira de Enfermagem, Brasilia, v.65, n.6, p. 937-939, nov/dez 2012. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0034-71672012000600008. Acesso em: 27 mar.2019.

 

Rocha, G. E. et al. (2014). Perfil das ocorrências em um Serviço de Atendimento Móvel de Urgência. Revista de Enfermagem UFPE on line, Recife, PE. v.8, n.2, p. 3627-3628, out 2014. Disponível em: https://periodicos.ufpe.br/revistas/revistaenfermagem/article/viewFile/10102/10568. Acesso em: 06 abr.2019.

 

Schmidt, M. I. et al. (2009). Prevalência de diabetes e hipertensão no Brasil baseada em inquérito de morbidade auto-referida, Brasil. Revista Saúde Pública, v.43, n.2, p.78-81, jul/ago 2009. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v43s2/ao 801.pdf. Acesso em: 20 mar.2019.

 

Secretaria de Estado de saúde do Distrito Federal (2014). Trotes para o Samu totalizam 16% das ligações recebidas. Disponível em: http://www.saude.df.gov.br/noticias/item/5980-trotes-para-o-samu-totalizam-16-das-liga%C3%A7%C3%B5es-recebidas.html. Acesso em: 04.abr.2019.

 

Sergipe (2011). Secretaria de Saúde. Manual técnico operacional da central SAMU 192: Livro do aprendiz (1ª ed.). Aracaju-SE: Funesa.

 

Silva, A. G. et al. (2010). Caracterização do atendimentos do serviço móvel de urgência- SAMU, Maringá-PR. Disponível em: http://www.cesumar.br/prppge/pesquisa/epcc 2013/oit_mostra/alex_gomes_silva_2.pdf. Acesso em: 10 mar.2019


Lecturas: Educación Física y Deportes, Vol. 24, Núm. 258, Nov. (2019)